Início » Homem é preso pro fraudar dados de produtores rurais em Itabuna e Ilhéus

Homem é preso pro fraudar dados de produtores rurais em Itabuna e Ilhéus

Por marlonfm

A Polícia Civil prendeu em flagrante, nesta segunda-feira (2), em Itabela, no extremo-sul da Bahia, um homem acusado de utilizar, indevidamente, nomes de produtores rurais de Itabuna, Ilhéus, Santa Luzia, no sul do estado; em Eunápolis, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, no extremo-sul, e Vitória da Conquista, no sudoeste, para ganhar licitações em municípios.

De acordo com as investigações da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior em Eunápolis ((Coorpin), o suspeito identificado com o Ubiratan Brito Rosa de Souza, o “Bira Rosa”, de 50 anos, que montou uma cooperativa que supostamente representaria estes produtores, aplicava o golpe desde 2013, mas as denúncias à Polícia Civil começaram a ser feitas há dois meses.

A polícia informou que a cooperativa tinha sede em Eunápolis, mas tinha como falsos representados agricultores em três regiões do estado. Usando os dados das vítimas, o homem participava de processos licitatórios para o fornecimento de merenda escolar no interior da Bahia.

PREJUÍZOS

Segundo a polícia, como, em tese, eram os produtores que estavam fornecendo os alimentos aos municípios, eles ficavam impedidos de fornecer seus produtos para o programa. Além disso, tinham seus benefícios – a exemplo do Bolsa Família – bloqueados.

“Ele se valia do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), pelo qual os produtores de baixa renda têm prioridade no fornecimento para compor o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), para, meio de uma cooperativa, falsamente integrada pelas vítimas, levar os municípios a erro, ao ponto de ele adquirir os produtos que deveriam ser fornecidos por produtores da agricultura familiar”, declarou o coordenador da 23ª Coorpin, delegado Moisés Nunes Damasceno.

“Importante destacar que, para criar e manter a cooperativa, o investigado se valeu da falsificação de diversos documentos, inclusive de assinaturas de seus supostos integrantes, além de forjar assembleias e uma série de outros atos, necessários à existência da cooperativa”, acrescentou.

O acusado foi preso por falsidade ideológica, logo após se habilitar no processo licitatório em Itabela. O auto de prisão em flagrante foi lavrado na Delegacia de Furtos e Roubos de Eunápolis, onde já tramitava o inquérito policial que apura as denúncias.

Compartilhe nas redes sociais

Escreva um comentário

error: Content is protected !!