Início » Jogos Olímpicos: Baianos conquistam ouro em Tóquio (Canoagem e Boxe)

Jogos Olímpicos: Baianos conquistam ouro em Tóquio (Canoagem e Boxe)

Por marlonfm

Dois baianos fizeram história neste sábado (7) nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Isaquias Queiroz conquistou a medalha de ouro na canoagem C1 1000m e o boxeador Hebert Conceição Sousa ganhou o ouro na categoria peso-médio (até 75kg) ao derrotar com nocaute espetacular no terceiro assalto o ucraniano Oleksandr Khyzhniak.

Esta foi a quarta medalha olímpica na carreira de Isaquias Queiroz, que completou a prova em 4min04s408, seguido pelo chinês Hao Liu (4:05.724), que ficou com a prata, e o moldávio Serghei Tarnovschi (4:06.069), que foi bronze.

“Tô meio que aéreo ainda… É diferente ganhar uma medalha de ouro. Estou feliz, mas estou mais feliz por estar deixando vocês no Brasil mais felizes”, declarou após a prova ao canal SporTV o atleta de 27 anos.

No Sea Forest Waterway, local das provas da canoagem, chuvia bastante até a largada da final, na qual o brasileiro teve uma participação espetacular para dar ao Brasil a décima sétima medalha nas Olimpíadas no Japão (5 de ouro, 4 de prata e 8 de bronze).

O brasileiro largou em terceiro lugar nos primeiros 250 metros, quando o alemão Conrad Scheibner liderava.

Queiroz ultrapassou o europeu na etapa seguinte e a partir da segunda metade passou por Hao Liu para assumir a liderança, que não largou até a linha de chegada.

Em sua outra participação nestes Jogos, o atleta havia terminado em quarto lugar na final da C2 1000m, ao lado de Jack Goodman.

Com este ouro e as duas pratas (C1 1000m e C2 1000m) e o bronze (C1 200m) conquistados na Rio 2016, Isaquias Queiroz se iguala em conquistas olímpicas a Serginho, que tem dois ouros e duas pratas com a seleção de vôlei, e Gustavo Borges, com duas pratas e dois bronzes, sendo três medalhas em provas individuais e uma em revezamento. Apenas os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt possuem mais medalhas que os três, com cinco cada.

Grande nome da canoagem mundial, o alemão Sebastian Brendel, bicampeão olímpico na C1 1000m (Londres 2012 e Rio 2016), não conseguiu vaga para a luta pelo ouro e terminou na 10ª posição na classificação geral.

Planos para Paris 2024

E o baiano de Ubaitaba já faz planos para os próximos Jogos Olímpicos em 2024. “Não vou a Paris para passear e sim para conquistar duas medalhas e representar meu país”, disse.

Isaquias também dedicou a medalha às vítimas da pandemia de Covid-19 no Brasil e homenageou o falecido técnico Jesús Morlán, espanhol que revolucionou a canoagem brasileira antes dos Jogos de Rio-2016 e que morreu vítima de um câncer no cérebro em novembro de 2018.

Segundo brasileiro a conquistar ouro no boxe

Com esta vitória, o baiano Hebert Conceição Sousa, de 23 anos, repete a conquista de Robson Conceição na Rio 2016 e se torna o segundo brasileiro a ser campeão olímpico no boxe.

Compartilhe nas redes sociais

Escreva um comentário

error: Content is protected !!