Início » Itabuna: Pena da “Viúva Negra” aumenta após ser descoberto mais um homicídio

Itabuna: Pena da “Viúva Negra” aumenta após ser descoberto mais um homicídio

Por marlonfm

Wane Brenda Gonçalves de Oliveira, de 34 anos, foi condenada, nesta sexta-feira (12), em Itabuna, no sul da Bahia. A mulher, que ficou conhecida como “Viúva Negra”, terá de cumprir mais 22 anos e 6 meses de prisão por homicídio triplamente qualificado.

Desta vez, a “Viúva Negra” foi condenada pelo homicídio de Evandro Bonfim de Sousa, que tinha de 40 anos. O crime ocorreu em dezembro de 2017, em Itabuna. A acusada está presa desde 11 de junho de 2018.

De acordo com a polícia, Evandro passou mal ao ingerir medicamento dado por Brenda em 12 de novembro de 2017. Ele chegou ao Hospital Calixto Midlej Filho vomitando e suando muito. Na ocasião, o médico disse que Evandro apresentava sintomas de envenenamento. A vítima passou por lavagem estomacal.

Evandro deixou o Centro de Terapia Intensiva (CTI) quatro dias depois, quando foi transferido para apartamento. Próximo de receber alta médica, ele teve uma parada cardíaca. A equipe médica tentou reanimação e colocou uma sonda gástrica, “por onde saía um material escuro parecido com chumbinho”.

MORTE CEREBRAL

Ele retornou para o CTI e teve morte cerebral confirmada no dia 28 de novembro de 2017, tendo parada cardíaca em 3 de dezembro daquele ano. O teste toxicológico confirmou o que se suspeitava. Evandro havia sido vítima de envenenamento por chumbinho.

Foi a segunda condenação aplicada Brenda Oliveira. No dia 31 de agosto deste ano, ela foi punida com 21 anos de prisão pelo assassinato de Edvaldo Araújo Alves, de 40 anos.

De acordo com as investigações, os dois homens foram mortos por envenenamento por “chumbinho”. A primeira vítima da “Viúva Negra” foi Edvaldo Araújo, que se sentiu mal no final da noite de 16 de abril de 2017.

Compartilhe nas redes sociais

Escreva um comentário

error: Content is protected !!