Início » Tharciso Aguiar desabafa e teme por sua segurança

Tharciso Aguiar desabafa e teme por sua segurança

Por marlonfm

Com exclusividade, o site Ilhéus 24H, veiculou no dia 20 de dezembro de 2021, um homicídio ocorrido no bairro do Pontal, mais precisamente na rua Castro Alves, nas proximidades do bar Mar Aberto, resultou em um jovem com a vida ceifada, e mais outros dois baleados.

No último dia 20/07, Policiais Civis de Ilhéus, cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e prisão preventiva, expedidos pela 1ª Vara do Júri da Comarca de Ilhéus/BA, em desfavor de R. S. C, morador do pontal e mais cinco pessoas, investigadas num inquérito policial.

Nas primeiras horas da manhã desse sábado (23), a redação do site Ilhéus 24H, conseguiu, com exclusividade, o primeiro pronunciamento de Tharciso Aguiar, sobre o fato ocorrido naquela noite.

Confira:

“No dia 20 de dezembro de 2021, data do fato ocorrido, Eu, Tharciso Aguiar, estava trabalhando na área vip (parte interna da boate) do bar Mar Aberto. De repente,observei muitas pessoas correndo em direção a parte externa da boate. Nesse momento, me dirigi para fora da boate e perguntei aos seguranças o que havia ocorrido. Os mesmos me relataram que houve uma discussão fora da boate e, logo depois ouviram alguns disparos de arma de fogo. Me dirigi até o local onde estava uma pessoa ferida, e logo após, determinei que ligassem para a polícia e socorro e retornei ao interior do estabelecimento para comunicar ao meu sócio, que estava no escritório. Ficamos aguardando as autoridades competentes chegar para apurar os fatos.

Em momento algum não me furtei de prestar esclarecimentos e ajudar as investigações, inclusive sendo ouvido pela polícia civil a cerca do fato do homicídio nas proximidades do Mar Aberto, como também no caso da fatalidade ocorrida na rodovia Ilhéus/Olivença e prestando todo e qualquer auxílio que estavam ao meu alcance.

No dia dos cumprimentos dos mandados de busca da polícia, um fato me deixou bastante estarrecido e triste é que algumas pessoas maldosas tentaram, a qualquer custo, me colocar como mandante desse triste homicídio ocorrido nas proximidades do Mar Aberto. Inclusive, segundo informações chegadas a mim, tentaram até oferecer vantagem para um dos investigados para que o mesmo desse o depoimento afirmando que o mandante teria sido eu, o que é bastante grave e impossível, pois todos sabem como aconteceu aquele episódio.

Após o acidente que estou respondendo, os meus advogados só tiveram acesso (à investigação) na data de ontem 22 de Julho, depois de diversas tentativas infrutíferas na delegacia e tendo que ir ao judiciário garantir esse direito constitucional, verificamos que os laudos periciais comprovam que foi uma fatalidade o ocorrido naquele dia, o laudo pericial da própria policia civil também conclui que eu não dirigia em alta velocidade. Diversas testemunhas foram ouvidas e até o momento não conseguiram demonstrar que aquela fatalidade não passou de um triste e fatídico acidente de trânsito, mas percebo que o sentimento de vingança tomou conta de algumas autoridades e agora querem colocar todos os crimes ocorridos na cidade na minha conta o que é uma injustiça absurda.

Estão expondo meus familiares!!! Minha esposa, mãe, irmãos e amigos sofrem todos os dias ameaças de morte, além de serem expostos de forma vexatória nas redes sociais, os colocando em risco.

No outro dia após o acidente ocorrido comigo houve uma morte de um cidadão no Bairro Malhado causado por acidente de veículo também, que não teve a mesma repercussão que o meu, muito menos teve uma preocupação maior das autoridades, sem falar em outros acidentes que ocorrem diariamente em nossa cidade e nenhum deles tratam da forma que estou sendo penalizado.

Chegou ao meu conhecimento que a família da vítima daquela fatalidade está tentando influenciar as autoridades competentes através de pressão em redes sociais e clamor popular para me colocar atrás das grades injustamente, com intuito de vingança pela perda prematura.

No início, fomos orientados a nos calar para que a verdade aparecesse e tudo ficasse claro como deve ser numa sociedade civilizada, sempre acreditando nas autoridades, mas as ameaças me sufocam diariamente e o único meio que temos agora é gritar para a mídia e para a imprensa tentando mostrar que o episódio do acidente na nova rodovia foi uma fatalidade, esclarecer que não tenho qualquer envolvimento na morte daquele jovem nas proximidades do Mar Aberto, precisamos confiar e deixar as autoridades trabalharem com imparcialidade que tudo ficará esclarecido.

Sou empresário estabelecido aqui na cidade de Ilhéus, tenho família estabelecida nesta cidade inclusive onde a minha esposa é médica e NÃO pretendo sair daqui.

Confio muito em Deus e na justiça sempre, tenho absoluta certeza de que tudo será esclarecido!

Em momento oportuno me apresentarei à justiça porque acredito em minha inocência, antes disso preciso assegurar (preservar) a segurança de minha vida e de meus familiares. Mais matérias virão com intuito de esclarecer os fatos veiculados (inverídicos).

“Por se tratar de um texto que traz uma opinião pessoal, não reflete necessariamente a opinião desse veículo de comunicação.”

Fonte: Site Ilhéus 24h

Compartilhe nas redes sociais

1 Comentários

Adauto Ribeiro. julho 23, 2022 - 19:05

O fato é que ele pode dizer o que quiser pois está vivo, mas a realidade é que ele matou uma pessoas e isso é um crime de trânsito. Já é aventada, em discussões e estudos no Senado Federal que crimes como este, não sejam apenas punidos com a privação de liberdade, mas com pagamento de pensão alimentícia, conforme o caso a ser aprovada a lei.

Responda

Escreva um comentário

error: Content is protected !!